sexta-feira, 28 de abril de 2006

 

Versos da MPB

Recebi um comentário que me lembrou as listinhas da Aninha.

A revista Época publicou em seu site uma lista dos 14 mais belos versos da MPB, são eles:

Quem acha vive se perdendo
Noel Rosa (em Feitio de Oração de Noel e Vadico - 1933)

Tu pisavas nos astros distraída
Orestes Barbosa (em Chão de estrelas de Orestes e Silvio Caldas - 1937)

Quem não gosta de samba, bom sujeito não é / é ruim da cabeça ou doente do pé
Dorival Caymmi (em Samba da minha terra - 1940)

Quando o verde dos teus óios / se espaiá na prantação
Humberto Teixeira (em Asa Branca de Humberto e Luiz Gonzaga - 1947)

Tire o seu sorriso do caminho / que eu quero passar com a minha dor
Guilherme de Brito (em A flor e o espinho, de Guilherme, Nelson Cavaquinho e Alcides Caminha - 1957)

A felicidade é como gota de orvalho numa pétala de flor / brilha tranqüila, depois de leve, oscila / e cai como uma lágrima de amor
Vinícius de Moraes (em A Felicidade de Vinícius e Tom Jobim - 1959)

Hoje eu quero paz de criança dormindo / quero abandono de flores se abrindo/ para enfeitar a noite do meu bem / quero a alegria de um barco voltando / quero ternura de mãos se encontrando / para enfeitar a noite do meu bem
Dolores Duran (em A noite do meu bem - 1959)

Com a corda mi do meu cavaquinho / fiz uma aliança pra ela / prova de carinho
Adoniran Barbosa (em Prova de carinho de Adoniran e Hervê Cordovil - 1960)

Foi um rio que passou em minha vida / e o meu coração se deixou levar
Paulinho da Viola (em Foi um rio que passou em minha vida - 1969)

O Rio de Janeiro continua lindo / o Rio de Janeiro continua sendo / o Rio de janeiro, fevereiro e março
Gilberto Gil (em Aquele abraço - 1969)

Acho que a chuva ajuda a gente a se ver / venha, veja, deixa, beija, seja o que Deus quiser / a gente se embola, se embola só para na porta da igreja / a gente se olha, se beija, se molha de chuva, suor e cerveja
Caetano Veloso (em Chuva, suor e cerveja - 1972)

Queixo-me às rosas / mas que bobagem, as rosas não falam/ simplesmente as rosas exalam / o perfume que roubam de ti
Cartola ( em As rosas não falam - 1976)

Como se na desordem do armário embutido / meu paletó enlaça teu vestido / e o meu sapato inda pisa o teu
Chico Buarque (em Eu te amo - 1980)

Te perdôo porque choras / quando eu choro de rir / te perdôo por te trair
Chico Buarque ( em Mil perdões - 1983)

Gostei de muitos versos e desconsiderei alguns:

"O Rio de Janeiro continua lindo / o Rio de Janeiro continua sendo / o Rio de janeiro, fevereiro e março"???? Qual a beleza? O Rio realmente é lindo (lembro de uma manhã de sol num avião fazendo a curva sobre a Guanabara para aterrizar no Santos Dumont, nada mais lindo) mas esse verso não faz jus a sua beleza.
Do Adoniran, prefiro "Teu olhar mata mais do que bala de carabina / que veneno estriquinina / que peixeira de baiano", mas gosto da citada também.
Noel Rosa (Clara Nunes também), na mesma música canta: "batuque é um privilégio / ninguém aprende / samba no colégio". Tem mais a minha cara. Vida de rua, bagagem da vida, malandragem pra enganar o que te encana.
Com Caymmi vou até pra Maracangalha.
Quando escuto Luiz Gonzaga logo me lembro do meu pai, com sua coleção de míseras 04 fitinhas cassete. Ele gostava de
Assum Preto . "Furaro os óio do Assum Preto / Pra ele assim, ai, cantá de mió". Eu ficava sem intender... gente-grande chorando por causa de um passarinho na música? Para mim, só crianças gostavam de periquitos.
Do Vinícius, gosto de tudo. Tenho um motivo muito especial para amar "Soneto de Amor Maior", mas "tristeza não tem fim / felicidade sim" já dizia o poetinha (sem pejorativos, apenas o carinho íntimo de fã).
Vocês sabiam que o Cartola desistiu da música e foi se virar de porteiro por causa da morte da esposa? Um dia, reencontrou-se com o Sérgio Porto (Stanislaw Ponte Preta) que o convenceu a voltar a ativa. Conheceu a D. Zica, montou um restaurante com ela e virou mito (deve Ter sacado que amor eterno, só de cisne).
O que esperar de um cara desses, senão "As Rosas Não Falam"? Desde moleque, entre horas contínuas de Led Zeppelin e Hendrix, eu separava momentos de melancolia induzida para escutar "vooolto ao jarrrdimmmm...".
E para terminar, o mais poético de todos os versos da MPB! Esse Chico Buarque é demais mesmo! Vai ser genial assim lá na casa do Zé Oreia! Como alguém consegue com tanta desenvoltura traduzir tanto a alma feminina quanto o whisky masculino????
Ele merece espaço não só para um verso, mas para a música inteira (e quiçá uma lista só para suas músicas).



Atenção: Não escute em momentos de crise! Perigo de desidratação!

EU TE AMO
Ah, se já perdemos a noção da hora
Se juntos já jogamos tudo fora
Me conta agora como hei de partir

Ah, se ao te conhecer
Dei pra sonhar, fiz tantos desvarios
Rompi com o mundo, queimei meus navios
Me diz pra onde é que inda posso ir

Se nós nas travessuras das noites eternas
Já confundimos tanto as nossas pernas
Diz com que pernas eu devo seguir

Se entornaste a nossa sorte pelo chão
Se na bagunça do teu coração
Meu sangue errou de veia e se perdeu

Como, se na desordem do armário embutido
Meu paletó enlaça o teu vestido
E o meu sapato inda pisa no teu

Como, se nos amamos feito dois pagãos
Teus seios inda estão nas minhas mãos
Me explica com que cara eu vou sair

Não, acho que estás te fazendo de tonta
Te dei meus olhos pra tomares conta
Agora conta como hei de partir.




Comments:
Paááááaáá´ra tudo, amei a idéia!
Como tb amo música, esta será a próxima listinha...hehehe!
Essa brincadeira tá pegando né?
beijos e ótimo feriado!
Aninha
 
Rodrigo, to aqui no processo desgutador, te lendo de varaginho e resolvi te dizer que concordo em GENERO, NUMERO E GRAU ..o Chico é tuuuuuuuuuuuuuudo e merece várias listinhas, é um POETA lindo, de uma sensibilidade que não tem adjetivo que seja suficiente...e essa música EU TE AMO é sem dúvida uma das mais!
beijo
 
Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?